Mãe não deixa de amar - Coisa de Mãe
28 mai 2012

Mãe não deixa de amar

Post por Glauciana às 16:04 em Mãe e Filhos

mãe maria amor materno filho drogas drogado problema

Eu sou mãe e nunca abrirei mão de meu filho“.

Essa frase não me sai da cabeça. Desde ontem, quando me lembro dela, sinto um misto de agonia, ansiedade, pena e solidariedade por pessoas que eu sequer conheço, que apenas uma vez ouvi falar.

Quem me disse essa frase foi uma pessoa recém chegada na minha vida, que estou, aos poucos, começando a compartilhar coisas e alegrias. O contexto é de sua mãe, de pouco mais de 50 anos, que tem um filho dependente químico.

Durante um almoço ela me contou a triste história de sua família, que tem como personagens centrais o irmão, dependente de crack, e sua mãe, que vive todos os dramas de ter um filho nessas condições.

Enquanto ela me falava das agressões do irmão, da sua falta de trabalho e ocupações, de como vive quase 100% do tempo entorpecido pela droga, das coisas de casa que vende em troca de qualquer dinheiro, das confusões com a polícia, a primeira coisa que passou pela minha cabeça e que eu questionei foi: “e porque sua mãe não o coloca pra fora de casa?”

E, então, ela me respondeu a frase que abre esse texto. A mãe, não sabendo se faz o certo ou o errado, diz que ele é seu filho, em qualquer circunstância, em qualquer hipótese e que nunca o abandonaria, nunca o jogaria fora.

Antes de ser mãe eu tinha uma visão muito dura e inflexível de posturas como essas. Mais um daqueles meus velhos conceitos que caíram por terra quando a maternidade se fez real para mim. Hoje em dia eu consigo entender essa mulher.

Porque, raios, que ela não coloca o filho pra fora de casa? Não troca a fechadura? Não chama a polícia e o entrega?

Por que ela é mãe! Não nos cabe aqui qualquer julgamento. Por si só essa justificativa já é válida.

Em uma das inúmeras vezes em que ela mesma chamou a polícia para conter os atos violentos dele, voltou atrás, quando o policial disse que poderia apagar o filho na próxima esquina ou ela teria que fazer a queixa formal contra ele, mandando-o para a prisão.

Errada? Conivente? Sustentando o vício do filho? Muitos poderão bradar, taxativos, essas exclamações. Não, eu vejo de outra forma. Ela é mãe e jamais poderia abrir mão de seu filho.

Eu, que tenho filhos pequenos, crianças ainda, tenho muito claro em mim das expectativas e sonhos que temos em volta deles. Vendo esses seres tão puros, tão cheios de futuro, com tanta felicidade à espera não posso nem imaginar se, um dia, meu filho se envolver em uma esfera negativa, que cause sofrimento a si mesmo e aos outros.

Mas, e então, vou jogar meus filhos fora? Deixar de amá-los simplesmente porque eles não se encaixam no modelo de sucesso que temos por aí? Grandes profissionais, grandes pais de família, casados, com um emprego estável e pagando a prestação da casa própria.

Eu deixaria de amá-los? Eu os deixaria de lado? Eu os colocaria pra fora de casa? Eu os entregaria para a polícia? Não sei responder algumas dessas perguntas, mas uma que tenho na ponta da língua é: “Não, eu não deixaria de amar!”

Porque amor não se baseia em “sucesso”. Em modelos de perfeição, naquilo que julgamos serem os “homens de bem”. Amo um filho por tudo o que ele é, por ter sido gerado dentro de mim, por ter sido feito pedaço por pedaço meu, por um dia ter tido o coração batendo no mesmo corpo que o meu.

Impossível julgar essa mulher por suas atitudes. Impossível também não me solidarizar por ela. Ela é mãe, como eu, como você.

O que vocês pensam desse tema tão delicado? Imaginam seus filhos numa situação tão triste como essa? Contem pra mim!

Esse texto foi publicado na rede social Mulher e Mãe, em 22/2/2011

*Imagem: We Heart It

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

6 comentários para "Mãe não deixa de amar" | Adicione o seu »

  1. mai 28, 2012 @ 16:57 {Responder}

    Realmente nao da pra julgar..esse eh o tipo de situaçao que a gente so saberia como agir no momento que estivessemos passando por isso..nao existe certo ou errado, existe aquilo que o seu coraçao lhe diz como ser o certo naquele momento.

  2. mai 28, 2012 @ 17:30 {Responder}

    Glau,
    Como mãe, tenho certeza de que jamais deixarei de amar minha filha, incondicionalmente, e é muito, mas muito triste mesmo ler a história dessa mãe, ainda mais sabendo que ela se refere à de muitas outras também.
    No caso de dependentes, existe um trabalho muito sério de tratamento que aborda justamente a questão do amor incondicional de pais – e familiares – pelos usuários de drogas. Chama-se Amor Exigente, e o nome se dá em função da dificuldade que é amar alguém que tem uma doença (por mais que roubem, sejam violentos, entre outras coisas, os dependentes são doentes, que precisam de ajuda e cuidados). Neste caso, especificamente, muitas vezes “dosar” o amor é amar mais…
    Enfim, escrevi isso porque sei que seu post irá reverberar, e muitas mães que passam por dificuldades, como a da mãe do texto, nem sempre sabem onde encontrar ajuda.
    um beijo

  3. mai 28, 2012 @ 18:06 {Responder}

    Eu nunca abriria mão do meu filho. Essa mãe precisa de apoio e o filho de ajuda médica. Eu não tenho experiência com pessoas viciadas, mas tive com alguém com doença psiquiátrica, em ambos os casos tudo é muito difícil, cada decisão é de vida ou morte, envolve culpa, medo, sentimentos que só atrapalham. E a solução é uma SÓ: o doente querer se curar e aderir ao tratamento e isso não depende dessa mãe, nem de nenhuma mãe, infelizmente.

  4. mai 28, 2012 @ 20:55 {Responder}

    Eu jamais poderia julgar uma mãe,tbm mudei muitos meus pensamentos sobre maternidade…conheço uma histaria triste dentro da minha família,o meu primo morreu nos braços da mãe,ele estava drogado e foi assaltar uma loja no bairro onde morava,o dono da loja atirou nele,então chamaram a mãe dele,saiu no jornal a foto ela sentado no chão com a cabeça dele no colo dela,ela acariciando o rosto dele,só Deus sabe tudo o se passava dentro dela,a sensação de ter fracassado,culpas e mais culpas,porque acho que é assim que nos sentimos nessa hora,culpadas,masmo que não seja isso,esse é um sentimento que nos acompanha…chorei ao ver a foto,é triste ver uma mãe passar por isso.

  5. mai 29, 2012 @ 02:12 {Responder}

    Eu trabalhei, como assistente social, num Centro de Internação para adolescentes infratores e convivi com várias mães como essa. Mães que nunca desistiram do seu filho. Mães que visitavam os seus filhos toda semana, e para isso passavam por aquela revista intima, e esperavam horas na fila.. mas estavam lá, firmes e fortes.
    Isso me marcou e me fortaleceu como mãe.
    Ótimo texto!

  6. Mãe
    set 23, 2013 @ 12:48 {Responder}

    Descobri a pouco tempo que meu filho usa maconha,e uma dor que vocês não imaginar,porque tenho caso na família que foi até pra cadeia.Essa droga está prejudicando na escola,um menino inteligente que nunca tomou bomba,agora tomou duas,as vezes meio agressivo comigo,mas uma coisa que falo sempre pra ele que não vou desistir do meu filho.Ele é meu único filho,sempre sonhei coisas pra ele que nunca tive.Mas a vida acabou me pregando essa peça.Vou fazer de tudo pra tira ele dessa vida.Mas estou perdida,preciso de ajudar?Desabafo de mãe….

Deixe um comentário





  • * requerido
*