Relembre as celebridades que tiveram bebês em 2010 - Coisa de Mãe
29 dez 2010

Relembre as celebridades que tiveram bebês em 2010

Post por Glauciana às 08:52 em Gravidez

Muitas celebridades deram à luz em 2010. Como dizem os sites sobre famosos, foi o ano da cegonha. Veja quem teve bebês no ano que se passou.

As gêmeas da atriz Giovanna Antonelli e do diretor de TV Leonardo Nogueira nasceram por volta das 16h40 do dia 8 de outubro. As bebês, que receberam os nomes de Antônia e Sofia, nasceram na Clínica Perinatal, na Barra da Tijuca, no Rio de Janeiro. Antônia nasceu com 2,965 kg e 47 cm e Sofia com 3 kg e 48 cm.

A atriz Flávia Alessandra deu à luz a Olivia no dia 5 de outubro, na Clínica São José, na zona sul do Rio. O bebê é filha da atriz com o também ator Otaviano Costa, e chegou ao mundo às 19h34, pesando 3,605kg e medindo 51cm.

Gabriela, filha da modelo Daniella Sarahyba e do empresário e jogador de pólo Wolf Klabin, nasceu no dia 2 de outubro, com 3,1 kg e 49 centímetros. Ela é a primeira filha do casal.

Nasceu no dia 7 de julho, no Rio de Janeiro, o terceiro filho da atriz Cláudia Abreu e do cineasta José Henrique Fonseca. O menino, que recebeu o nome de José Joaquim, é o primeiro bebê do sexo masculino da atriz, que já é mãe de Maria e Felipa.

Mateus, filho da atriz Juliana Knust com o estilista Gustavo Machado, nasceu no dia 8 de setembro às 10h42, na maternidade Perinatal da Barra, na zona oeste do Rio de Janeiro. O bebê, que é o primeiro filho do casal, nasceu de parto normal, pesando 3,430 kg e medindo 50 cm.

A filha da atriz Luciele Di Camargo e do jogador Denílson nasceu no dia 26 de julho. Maria Eduarda chegou às 17h45, pesando 2,450 quilos. A atriz foi submetida a uma cesariana e o parto foi acompanhado pelo pai da criança.

A primeira filha da atriz Maytê Piragibe com o ator e modelo Marlos Cruz nasceu no dia 3 de novembro, no Rio de Janeiro. Maytê deu à luz Violeta por volta das 17h30, na Clínica São José, no Humaitá, na zona sul da cidade. A menina nasceu de uma cesariana, com 3,135 kg e 48 cm.


Nasceu no dia 29 de setembro a filha da cantora Tânia Mara e do diretor Jayme Monjardim na Perinatal, na Barra, zona oeste do Rio de Janeiro. O bebê, que ganhou o nome de Maysa, nasceu às 20h30.

Cora, filha de Vanessa Lóes e Thiago Lacerda, nasceu de parto normal no dia 9/4, na Casa de Saúde São José, no Rio de Janeiro, com 3,595 kg e 49,5cm.

Moisés, filho da atriz Vanessa Giácomo com o ator Daniel de Oliveira, nasceu no dia 29 de maio, às 12h44, na Perinatal da Barra, no Rio de Janeiro. O bebê nasceu com 47 centímetros e pesa 2,890 kg.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

8 comentários para "Relembre as celebridades que tiveram bebês em 2010" | Adicione o seu »

  1. jan 08, 2011 @ 06:31 {Responder}

    É sempre lindo ver o semblante feliz de uma grávida!
    Bj
    Adri

  2. Marcos
    jan 09, 2011 @ 09:01 {Responder}

    Pode ser até bonito pelo significado mas que a estética é horrivel é! hehehe

  3. ju
    jan 09, 2011 @ 16:54 {Responder}

    cada nome

  4. Luanna
    jan 09, 2011 @ 19:44 {Responder}

    Faltou o filho(a) da Juliana Paes no dia 16 de Dezembro.

  5. jan 19, 2011 @ 22:05 {Responder}

    faltou o filho da ivete sangalo

  6. Camila Aquino dos Santos
    ago 22, 2011 @ 23:55 {Responder}

    Olá, Glauciana!

    Ótimo seu blog. Parabéns! Textos muito bem redigidos. Um oásis no mundo www. O tema maternidade é recorrente pra mim. Li muito para estar pronta para quando minha baixinha chegasse. Minha filha nasceu dia 28 de setembro de 2010. Alice completaria 1 ano se a vida dela estivesse em minhas mãos. Mas não estava. Estou casada há 6 anos e a gravidez foi muito planejada e esperada. Era tudo perfeito. Nada ia dar errado. Isso nem sequer passava pela minha cabeça. Não me afligi durante a gravidez, nem me preocupei com o parto. Confiava que estava fazendo tudo certo. Comia de forma super saudável. Fiz acompanhamento com um obstetra na cidade vizinha, que é maior e com mais recursos, pois era onde eu preferia que fosse o parto, mas não deixei de ter uma obstetra na minha cidade, caso não desse tempo de viajar. Fazia o dobro de exames que toda grávida faz. Tudo apontava pra a chegada de uma criança sadia e perfeita, mas não foi assim. Ela nasceu com um problema cardíaco e esteve comigo durante 24 horas. Nove meses e 24 horas foi o tempo que tive pra estar com ela. Dor pela ausência. Decepção. Humilhação. Ser forte para não preocupar os que me amam.
    Alice foi a primeira neta dos meus pais. O primeiro bebê da turma da faculdade. A primeira neta da minha sogra, que só tem netos. Saudade de tudo o que faria e aprenderia com ela. Angústia por não tê-la ouvido chorar nem tê-la amamentado uma única vez.
    Lembrei de uma antiga vizinha, da cidade onde eu morava quando criança, que havia passado pela dor da perda do bebê recém-nascido. Um colega com quem havia trabalhado anos atrás, com quem conversava esporadicamente, me contatou para dizer palavras carinhosas de conforto porque havia perdido o primeiro filho na mesma situação. Aos poucos, alguns amigos, colegas de amigos e conhecidos se aproximavam de mim ou dos meus pais (em cidade pequena, todo mundo sabe de tudo) para desabafar que suas irmãs, esposas ou primas também tinham passado por isso. Foi um alívio me reconhecer em algumas histórias. Saber que não aconteceu só comigo. Que eu não sou a única do mundo que não carregou nos braços o seu bebê. Parece que todas as gestações que vêm à público dão certo. Não se fala sobre quando dá errado. Não se fala sobre a dor. É quase impossível achar na biografia de Maria Callas alguma referência sobre o filho que teve com Onassis e que faleceu poucos dias depois do parto. A Leticia Birkheuer não fala sobre o filho que perdeu. Carolina Dieckman, Luana Piovani, Ivete Sangalo e Joelma também não. Ticiane Pinheiro mencionou o assunto. Sheila Carvalho desabafou um pouco. A escassez de matérias sobre o assunto indica que é muito doloroso tocar na ferida. Será um tabu?
    Me considero mãe. Alice está comigo o tempo todo, de forma muito positiva. Penso que ela não está sofrendo, e isso me dá força. Meu sofrimento não existe mais. A saudade dói um pouco, e existe a vontade de revê-la. Mas eu sei esperar. Já dizia o poeta “A vida não passa de uma oportunidade de encontros; só depois da morte se dá a junção; os corpos apenas têm o abraço, as almas têm o enlace!”. Estou tentando engravidar novamente. Seguirei lendo seu blog.
    Abraços!

    • ago 23, 2011 @ 18:02 {Responder}

      Oi, Camila
      Em primeiro lugar, obrigada pela coragem de compartilhar comigo e com todos os leitores do blog um depoimento tão emocionado e triste, ao mesmo tempo.
      Sabe, eu não tenho dimensão da dor pela morte de um filho, seja em que tempo for – com 24 horas de nascido ou com 24 anos de idade. Mas, como mãe, acho que posso imaginar um tantinho. Por isso, todas as minhas palavras são de alguém que não passou por esse drama.
      Eu acho que não passamos pelas situações à toa. Tudo tem um porquê e talvez não entendamos a razão até chegar o momento certo. Um dia tudo fará sentido.
      Eu acho que o principal é você aceitar o que você e sua família passaram e pensar no futuro: há possibilidades de você ser mãe novamente, seja de forma biológica ou por outras vias, como o coração.
      Sinta-se abraçada por mim, de forma bem carinhosa.
      Ah, e você relata que não encontra gente falando sobre o assunto na web. Por isso, lhe faço um convite: se quiser, escreva um texto sobre isso para publicarmos aqui no Coisa de Mãe, na coluna “Mãe é tudo igual”. Se tiver vontade, o canal está aberto para você =)
      Grande beijo!

  7. marilene
    fev 22, 2012 @ 00:18 {Responder}

    é difícil nós que somos mãe pensar na possibilidade de um dia perder nossos filhos,tenho um filho de 5 anos que é tudo na minha vida,fico tão feliz quando vejo outras mulheres sendo mãe também,e sofro quando vejo perder seus filhos.não sei o que seria de mim sem meu filho.(joão victor)

Deixe um comentário





  • * requerido
*