Coisa de Mãe
23 out 2014

Dicas e cuidados para tratar asma em crianças

Post por Glauciana às 08:42 em Saúde

esps-voce-sabia-que-asma-atinge-criancas-brasileiras

A asma é a doença crônica mais prevalente na infância, sendo a terceira causa de hospitalização em crianças e cerca de 30% dos atendimentos em emergências. É uma doença que continua sendo pouco controlada, principalmente pelo uso incorreto e irregular das medicações. Ainda é corrente o uso de termos como bronquite ou bronquite asmática, até mesmo por médicos o que torna difícil seu tratamento.

A palavra asma tinha um caráter estigmatizante advindo de séculos, pois até há bem pouco tempo os recursos terapêuticos eram muito limitados, e o fato de uma criança ser asmática significava muito sofrimento pelo resto da vida. Hoje não é mais assim. A asma pode e deve ser adequadamente diagnosticada e tratada, melhorando a qualidade de vida das crianças e diminuindo inclusive o absenteísmo escolar.

Existem vários medicamentos inalatórios eficazes e extremamente seguros para o tratamento da crise e também para prevenção.

Não existe uma causa única para a ocorrência da asma. Seu acontecimento é o resultado da interação entre fatores ambientais, genéticos e outros fatores específicos, que levam à persistência da inflamação, mantendo os sintomas da doença.

Os principais sintomas são tosse, falta de ar, chiado e aperto no peito na maioria das vezes à noite e início da manhã.

Nos momentos de crise são comuns os sintomas de cansaço progressivo, taquipnéia (respiração rápida), tosse, sibilância e opressão torácica, ou ainda a combinação desses sintomas.

São vários os fatores que podem provocar uma crise de asma: alérgenos (agentes causadores da alergia), vírus, agentes poluentes, fumo, mudanças da temperatura, exercícios físicos, emoções e alguns medicamentos.

Ao chegar ao atendimento de emergência pediátrica, a identificação do paciente de risco e a classificação da intensidade da crise são dados extremamente importantes, uma vez que isso permitirá a indicação de condutas imediatas, o que contribuirá para um tratamento ainda mais rápido do pequeno paciente.

Fique atento aos principais desencadeadores da asma e proteja sua criança:

- Ar frio, como mudanças no clima (na maioria das vezes o tempo frio)
- Aspirina e outros medicamentos
- Produtos químicos no ar ou nos alimentos
- Animais (pelos ou caspa)
- Poeira
- Exercícios
- Emoções fortes
- Mofo
- Pólen
- Fumaça de tabaco
- Infecções virais, como resfriado comum, por exemplo

Além disso, observe se o seu filho está tendo dificuldades para respirar ou sofrendo uma crise de asma e procure imediatamente uma assistência médica.

*TextoChristiane Tamar, chefe do Serviço de Pediatria do Complexo Hospitalar de Niterói (CHN)

**Imagem: Daqui

22 out 2014

Livro “Meu Bebê Gourmet”: receitas deliciosas e álbum de fotos

Post por Glauciana às 09:29 em Culturinha

unnamed-13

Quando tive Eduardo, meu filho mais velho, hoje com 7 anos, uma das maiores dificuldades que enfrentei foi com relação à alimentação. Dudu era um bebê com paladar seletivo, os chamados “picky eaters”, veja mais sobre esse assunto que escrevi aqui no blog. Ele não aceitava muitos alimentos, tinha problemas com texturas e sabores.

Por isso, eu me dediquei muito à sua alimentação, especialmente no momento em que fizemos a transição da amamentação exclusiva no peito para os sólidos. E, confesso, como foi difícil. Jesus, eu chorava horrores! Eu não sabia exatamente o que podia combinar, quais legumes ficavam bem juntos, nutricionalmente o que poderia ser feito para potencializar as vitaminas dos parangolés todos. E o principal: eu não conseguia fazer o moleque gostar de nada! Sofri muito, gente, juro.

Aí que recebi de presente o livro “Meu Bebê Gourmet”, da Margarete Steigleder e editado pela Disal Editora, e pensei: “porque isso não foi há sete anos”…rs. O livro é também um álbum de fotografias, uma parada interativa, que traz várias receitas deliciosas para desenvolver a alimentação e o paladar do bebê, da amamentação até os 12 meses… mas ó, eu acho que não só para os bebês, também para os adultos, pois as receitas me parecem deliciosas. E elas são fáceis. Esqueça isso de que vai ter de passar horas só para descobrir quais são os ingredientes. Tudo tranquilo de fazer e menus testados.

Aqui uma das minhas receitas favoritas, que está no “Meu Bebê Gourmet”:
Sopa de Mandioca com Agrião

1 xícara (chá) de mandioca limpa picada
2 xócaras (chá) de água filtrada
100g de peito de frango
1 colher (sopa) de cebola picada
1 xícara (chá) de folhas de agrião

Cozinhe a mandioca com a água, o frango e a cebola, com a panela tampada, por 20 minutos. Retire o frango e desfie bem. Bata o restante no liqüidificador com o agrião. Junte o frango. Sirva morna.

Rendimento: 4 porções

*Imagem: Daqui

21 out 2014

A importância da vitamina C na alimentação das crianças

Post por Glauciana às 18:23 em Saúde

vitamina-c

Nos primeiros anos de vida, uma alimentação equilibrada e fortificada com vitaminas na dose certa é essencial para o crescimento e desenvolvimento das crianças. A fase compreendida entre os 4 e 10 anos de idade representa, do ponto de vista nutricional, um dos momentos mais frágeis, já que deficiências nutricionais podem levar à redução do peso corporal, déficit de crescimento, comprometimento da imunidade e alteração da função do sistema digestivo. A ingestão de vitamina C pode ser indicada para o período, uma vez que auxilia no bom funcionamento do organismo. O nutriente, também conhecido como ácido ascórbico, não é sintetizado pelo organismo, sendo obtido unicamente por meio de uma alimentação adequada.

A vitamina C é encontrada nas frutas, principalmente as cítricas, como acerola, laranja, limão, mamão, caju, kiwi, goiaba, abacaxi, morango e melão. Em folhas e legumes frescos, como agrião, salsa, alface, repolho, abobrinha, pimentão, tomate, cenoura, couve-flor, brócolis, espinafre, entre outros.

Após ser ingerida, participa de diversas reações bioquímicas vitais para o corpo. Por exemplo, ela ajuda as células a crescer e permanecer sadias, além de ser benéfica para ossos, dentes, gengivas, ligamentos e vasos sanguíneos. Também auxilia o organismo a responder às infecções e ao estresse. O nutriente tem ação antioxidante, combatendo os radicais livres. Ainda estimula a absorção de ferro, ajudando a evitar a anemia, e participa na formação de colágeno, responsável por unir e fortalecer os tecidos.

Crianças e adultos que têm deficiência do nutriente estão mais propensos a sangramentos nas gengivas, má cicatrização das feridas, perda de dentes e dores nas articulações. A carência, conhecida como escorbuto, também pode gerar, em especial nas crianças, perda de apetite, dificuldade em ganhar peso, dificuldades no aprendizado, na concentração e memória e manifestações de insônia e nervosismo; bem como fadiga e depressão em adultos. Além disso, sua falta pode ocasionar a debilidade de alguns tecidos orgânicos, além de lesões na mucosa intestinal e alteração na constituição dos dentes.

Pensando nisso, a empresa Bayer criou Redoxitos®, a primeira vitamina C em formato de gominha sabor laranja, que oferece de forma divertida a complementação alimentar de crianças de 4 a 10 anos. A vitamina C é hidrossolúvel, ou seja, tem afinidade e é dissolvida na água. Sendo assim, aos poucos ela é excretada pela urina, de modo que o excesso do nutriente não fica armazenado no organismo. Crianças com dieta irregular ou com baixo consumo de frutas e vegetais podem carecer de seu suplemento, por isso é indicado sempre consultar o médico pediatra.

*Imagem: Daqui

14 out 2014

A morte e a vida

Post por Glauciana às 20:48 em Devaneios de Mãe

e-a-gente-lembra

Há poucos dias o pai de minha amiga de infância faleceu. Terminou seu tempo aqui entre nós e se foi. Não tenho detalhes sobre sua partida, porque não estou na cidade onde moramos, mas desde que recebi a notícia, por uma outra amiga, estou pensando em toda a família.

E sabe que eu não penso de forma triste, por incrível que pareça?

Calma, antes que você pense que sou uma insensível, que não é tocada pela morte do pai de uma querida amiga… caaaaaaaalma, leia mais umas linhas.

Eu conheço tio Fernando desde os 9 anos de idade. Morávamos no mesmo bairro, eu frequentava sua casa. Perdi as contas de quantas vezes almocei ou tomei café da tarde lá. Me lembro dele alto, bonito, forte, cabelos pretos, like um galã, sempre me pareceu algo como George Clooney.

Mesmo depois de muitas mudanças de casa e de cidade, tanto minhas, como da família, como de minha amiga, a amizade sempre continuou a mesma. E a cada brecha, estávamos lá nós todos reunidos.

Sabe aquele tipo de amizade que não morre nunca? Que a gente meio que se sente parte da família? Que sabe dos desafios enfrentados? Que eles compartilharam dos meus tropeços, que a gente comemorou juntos as vitórias.

Então, quando soube do desencarne do tio Fernando, me veio à mente aquele homem lindo e gentil que ele era. Não pensei nele no estado atual, já bastante debilitado fisicamente, pela doença que o acomete há alguns anos.

E fiquei feliz por isso. Por ter na memória motivos para sorrir num dia triste. Por me lembrar de tantos bons momentos no momento de sua partida. Alegro-me por não ter a culpa daquele “eu podia ter ido vê-lo”. Por não ter estado mais perto.

Nós vivemos o que podíamos ter vivido. Compartilhamos, trocamos, sorrimos, choramos, alcançamos, brincamos, almoçamos, passeamos. Fomos felizes! Porque, a felicidade está na vida cotidiana, na beleza rara e sutil das relações diárias. E é isso que eu sigo ensinando a meus filhos. O real valor dessa vida tão passageira, quase um sopro.

*Imagem: Daqui

24 set 2014

Dia das Crianças: que tal variar no presente?

Post por Glauciana às 17:03 em Mãe e Filhos

kit_soninho_homem_aranha-800x800

A madrinha de Eduardo, meu filho mais velho, sempre presenteou tanto o afilhado como o irmão, Luca, meu caçula, com coisas muito criativas. Fugindo do conceito do brinquedo – que eu inclusive tenho várias ressalvas – ela sempre acerta de mão cheia. Ela já deu cobertores de time (o nosso é o São Paulo), já deu jogos de cama, com os personagens que eles adoram, já deu mochilas super descoladas.

Eu acho o máximo, porque são coisas bacanas e criativas, que as crianças usam em seu dia-a-dia e expande o conceito de presente, fugindo da mesmice do brinquedo. Mas, muitos virão falar: você não gosta de dar brinquedos pros seus filhos? Gosto, gosto sim! Mas, brinquedos que estimulem a criatividade deles e os faça viajar ainda mais na brincadeira livre. Sou bem avessa à modelos prontos e que incitem, de alguma forma, o consumo, o machismo ou o sexismo, coisas que esses brinquedos americanizados fazem demais.

E aí nessas próximas semanas, antes do Dia das Crianças, que em nosso país é comemorado em 12 de outubro, eu sugiro que pensemos mais nisso: já pensou em ousar no presente e dar uma cortina, um jogo de lençol, um cobertor, um edredon, um roupão, uma toalha de banho ou uma colcha da loja Bom Gosto Enxovais para seu filho, sobrinho, neto ou afilhado?

ben10

Eles normalmente adoram, porque são dos personagens que eles convivem e curtem muito, como as vampirinhas da Monster High, os palhacinhos Patati e Patatá, os Super-Heróis, como o Homem Aranha e o Ben 10, as princesas, a Barbie, a Moranguinho, os protagonistas dos filmes, como do Carros e do Aviões.

Tenho certeza que pode ser super legal. Experimente! Aqui em casa a gente já abriu a mente e deixa fluir esse novo modelo de presente e eles adoram. Ah, e fica também o recado: muito mais que um presente, crianças querem de nós é tempo disponível e atenção. Portanto, dedique este dia a ela, faça atividades legais, mostre que seu mundo é importante para você. Esse, sem dúvida, é o melhor presente que você dar a seu filho no Dia das Crianças :)

cortina_da_mosnter_highpatati_cama_jogo_de_cama_barbie_e_as_sapatilhas_magicas

publi-2

24 set 2014

Teste do pezinho: o que é possível descobrir numa gotinha de sangue?

Post por Glauciana às 16:08 em Saúde

teste-do-pezinho

O teste Teste do Pezinho, conhecido também como triagem neonatal, é um exame de extrema importância para o recém-nascido, capaz de detectar precocemente mais de 50 doenças entre patologias metabólicas, genéticas e infecciosas que poderão causar alterações no desenvolvimento neuropsicomotor do bebê. É popularmente conhecido como teste do pezinho, pois a coleta do sangue é feita por meio de um furinho no calcanhar do bebê, embora, no teste do pezinho, o sangue também possa ser coletado do braço do bebê.

A escolha do calcanhar do bebê como local onde será feita a coleta de sangue se deve pela região ser rica em vasos sanguíneos, e a coleta pode ocorrer rapidamente, com um único furinho. “Algumas poucas gotas de sangue em um papel-filtro próprio, colhidas na primeira semana de vida, bastam para esse exame. Após secar, o papel é enviado para o laboratório,
que vai dosar as substâncias que podem identificar os recém-nascidos em risco e quais são as doenças que devem ser tratadas”, explica o médico geneticista clínico Gustavo Guida, do Bronstein Medicina Diagnóstica.

Esse exame normalmente é realizado nas maternidades, mas pode ser feito em laboratórios, quando o bebê completa 48 horas de vida. Antes disso, o teste pode sofrer influência do metabolismo da mãe. “O ideal é que seja feito até o sétimo dia de vida”, enfatiza o especialista.

testedopezinhojpg

O teste do pezinho é obrigatório por lei em todo o Brasil, e a simples atitude de realizar o exame faz com que doenças causadoras de sequelas irreparáveis no desenvolvimento mental e físico da criança sejam detectadas e tratadas mesmo antes do aparecimento dos sintomas. No teste básico, oferecido pela rede pública, são rastreados a fenilcetonúria e o hipertireoidismo congênito, doenças que causam retardo mental grave se não tratadas desde as primeiras semanas de vida.

“No serviço privado, os melhores exames disponíveis já checam cerca de 50 doenças. Entre elas está a deficiência de acil-CoA desidrogenase da cadeia média (MCAD), que pode levar à morte caso a criança seja mantida em jejum por poucas horas, mesmo no tempo de um breve cochilo, e a doença de Pompe (um raro transtorno neuromuscular), para a qual já existe terapia de reposição enzimática, mas que, na sua forma infantil, leva à morte por falência cardiorrespiratória”, complementa o Dr. Gustavo Guida.

Existem diferentes tipos de exame do pezinho. O Sistema Único de Saúde (SUS) instituiu o Programa Nacional de Triagem Neonatal, que cobre a identificação de até seis doenças (fenilcetonúria, hipotireoidismo congênito, anemia falciforme, fibrose cística, hiperplasia adrenal congênita e deficiência da biotinidase). Mas nem todos os estados brasileiros realizam os seis testes. O programa prevê quatro fases do teste do pezinho, às quais os estados devem se adequar: a primeira fase detecta as doenças fenilcetonúria e hipotireoidismo congênito; a segunda inclui a anemia falciforme; a terceira fase abrange a fibrose cística e a quarta, a deficiência de biotinidase e a hiperplasia adrenal congênita.

Hoje já existe uma versão ampliada do teste do pezinho, por meio do qual é possível identificar mais de 50 doenças antes que seus sintomas se manifestem. O principal recurso que possibilitou tal avanço foi o surgimento da espectrometria de massa. “Ela permitiu que o número de doenças diagnosticadas aumentasse, com o custo menor do que o possível pelos métodos tradicionais. Antes, para os mesmos resultados, seria necessária uma amostra de sangue muito maior, com respostas bem mais lentas e a possibilidade de mais falhas”, finaliza o especialista.

23 set 2014

Pernambucanas promove campanha de Arrecadação de Brinquedos

Post por Glauciana às 12:28 em Infância

banner_blogs

Hoje estava contando para a professora de meu filho sobre a nossa saga da mudança para a Bahia, em janeiro de 2013, e como foi nosso processo de desapego, já que transportar tudo para lá seria inviável. Falei dos seis sacos imensos com brinquedos dos meninos que doamos. Ela ficou espantada e perguntou: “nossa, mas eles não acharam ruim?”. E eu expliquei que não, já que separar brinquedos para passar a outras crianças, mesmo os que estão em bom estado, sempre foi uma prática comum entre nós.

E agora, com o Dia das Crianças chegando, fiquei sabendo de uma iniciativa muito legal da Pernambucanas, que é a Campanha de Arrecadação de Brinquedos. De 5 de setembro a 8 de outubro, todas as lojas da rede pelo Brasil estão recebendo brinquedos novos ou usados, em bom estado de conservação, para doar para as instituições sociais presentes no entorno de cada loja.

Tem mais! Para agradecer e valorizar o gesto da criança a Pernambucanas prepara todos os anos uma publicação infantil exclusiva, chamada Ciranda, com conteúdo socioeducativo. Essa publicação é entregue a cada doador como forma de agradecimento.

Eu acho isso o máximo. E aqui em casa costumamos eleger um ou mais brinquedos, respeitando, é claro, meus filhos. Afinal, os brinquedos são deles e eu acho que temos de fazer isso de forma natural, explicando que o presente vai para uma criança que provavelmente não têm muitos. Ou, então, que aquele carrinho, por exemplo, vai fazer outro menininho feliz. Aí, eles se animam imaginando quem é que vai receber e topam. Lógico que em alguns momentos eles já disseram “esse não”, “ah, mamãe, mas eu gosto tanto desse”. Respeitando seus gostos, mas sempre incentivando o desapego e esse tipo de boa ação. Esse é o lema aqui em casa!

Que tal reunir a criançada em volta da caixa de brinquedos, escolher um – ou quem sabe alguns brinquedos, já que eles provavelmente ganharão novos neste Dia das Crianças, né? – e levar para uma loja da Pernambucanas? Ao término do período de recebimento, todos serão enviados para seus novos donos. Aqui em casa a coleta já foi feita e amanhã alguns carrinhos estão indo brincar com novos pequenos :)


publi-2

21 set 2014

Fotografia newborn: a beleza das imagens dos recém-nascidos

Post por Glauciana às 20:56 em Mãe e Filhos

unnamed-3

A vida é feita de momentos especiais. Alguns são tão importantes que muitas pessoas fazem questão de registrá-los para ficarem sempre guardados na memória. Seja a espera por um novo membro da família, os primeiros dias de vida de um bebê ou ainda a intimidade e carinho entre pais e filhos. A verdade é que períodos como estes merecem ser eternizados por lentes mais experientes e que consigam captar muito mais do que belas fotografias. Nas imagens registradas pela profissional Eileen Parker é possível sentir toda ternura e amor envolvidos nestas cenas familiares e muito mais. Sentimentos que só alguém que também passou por ocasiões assim sabe eternizar.

Mãe de três filhos, Eileen Parker já viveu a ansiedade da gestação e conhece de perto a vontade que a maioria dos pais tem de registrar cada momento com seus filhos. Com grande experiência, a profissional acaba mesclando muito de seu dom maternal com conhecimentos técnicos em fotografia, resultando em belas imagens, carregadas com as mais diversas emoções.

Sempre em busca do clique perfeito, a profissional possui um estúdio próprio localizado no bairro da Vila Olímpia, em São Paulo, que conta com mais de 30 cenários diferentes, além do tradicional fundo branco. “Para um ensaio de gestante, por exemplo, estas ambientações são importantes no meu trabalho para que o ensaio fique mais variado, sem parecer que se está sempre no mesmo local. Este fator somado a uma qualidade de luz, técnica fotográfica e tratamento digital são fundamentais para um resultado diferenciado e cheio de sentimento”, explica a fotógrafa que também se orgulha por ter criado os diferentes cenários. Para os cliques de gestantes, além das variedades de cenas, Eileen ainda conta com acessórios e figurinos e também busca conhecer as preferências pessoais, para conseguir imagens bem próximas da personalidade de cada mulher.

unnamed-4

Em um ritmo mais tranqüilo, os ensaios de newborn são marcados pela inocência e fragilidade dos bebês e visam captar detalhes tênues dos primeiros dias de vida da criança e a emoção dos pais em estarem vivendo o momento mais especial de suas vidas. Sócia fundadora da Associação Brasileira de Fotógrafos de Recém-Nascidos (ABFRN), Eileen ressalta que a segurança, a higiene e o bem-estar estão sempre em primeiro lugar quando se trabalha com bebês. Para estes frágeis modelos, a fotógrafa reserva uma sala especial, esterilizada e climatizada para deixar os recém nascidos bem confortáveis.

Cada ensaio pode durar de 2 a 4 horas e contemplam cliques dos detalhes dos pequenos, cenas com os pais e diferentes imagens com variados cenários e figurinos. Objetos com toucas, coroas, ninhos, carrinhos antigos, camas na versão miniatura para bebês, cavalinho de balanço e muitos outros itens também conferem uma assinatura inusitada e bastante angelical ao trabalho da artista.

Sejam as ruguinhas dos pés, curvatura delicada dos cílios ou a coloração da boca, o ensaio de newborn vai perpetuar todos estes pequenos detalhes que a maioria dos pais tende a esquecer ou muitas vezes não notam devido à correria com os cuidados com o filho”, revela a fotógrafa, que sempre busca renovar seus conhecimentos neste universo realizando cursos internacionais com profissionais importantes deste segmento, como Kelley Ryden, Tracy Raver e Stephanie Robin.

Mas não é só para estes momentos iniciais na vida de papais e mamães, que a fotógrafa dedica suas horas. Na sua rotina também entram ensaios com bebês mais crescidinhos e ainda da família toda. “Adoro captar de forma espontânea a essência e a energia destes momentos, registrar a personalidade de cada criança e membro da família, e interagir com eles. Cada trabalho é único e especial”, relata.

image006

16 set 2014

Mães de primeira viagem ditam tendência com festas feitas em casa

Post por Glauciana às 12:53 em Decoração

Junina_6meses(3)

Numa época em que as festas infantis se transformaram em megaeventos – e eu acho o ó, pra ser sincera -, com cenários superelaborados e orçamentos compatíveis com os de recepção de casamento, as mães mais antenadas vão na contramão disso tudo com a missão de tornar a festa do filho uma comemoração bacana, preservando a simplicidade do homemade (feito em casa). A fórmula que elas encontraram para equilibrar essas vertentes inclui decoração artesanal, comidinhas gostosas e resgate do verdadeiro conceito do que é comemorar aniversário.

Foi assim que Priscila Pais, mãe do Enzo, de apenas 7 meses, encontrou equilíbrio para fazer a recepção do batizado de seu filho: “Queria uma recepção simples após a cerimônia, somente para os familiares, cerca de 20 pessoas, quando me deparei com orçamentos dignos de festa de um ano somente para a mesa de doces. Por isso, decidi que eu mesma iria colocar a mão na massa, o que geraria uma economia de cerca de R$ 2 mil.”

A partir de então, Priscila passou a produzir as festinhas de “mesversário” do Enzo em casa, para comemorar em família cada fase do crescimento de seu bebê. A produção da mesa de doces lembra nossa velha infância, mas com uma leitura moderna e delicada dos temas atuais, sem clichês e exageros. “Preparar cada detalhe do evento dá mais sofisticação e exclusividade às produções, além de ser algo muito prazeroso, já que o resultado será como você sempre imaginou”, comentou Priscila, que criou uma página no Facebook para inspirar outras mães, a Le Partie Produções.

O mesmo aconteceu com a mamãe de primeira viagem Nathália Araújo, que preparou, juntamente com a irmã Rachel Lopes, a festa de um ano do Hugo. “Sempre quis preparar uma celebração memorável para meu filho, e nada melhor do que cuidar de cada detalhe para que saia exatamente como sonhei. Fiquei realizada com o resultado; apesar de todo o trabalho, a sensação de recompensa logo vem com a alegria de meu bebê e de nossos convidados. Todos elogiavam e queriam o contato de quem produziu”, conta, rindo, Nathália.

Veja algumas imagens de festinhas feitas em casa, no maior estilo “simples e de bom-gosto”.

Batizado (357) (800x533) Batizado (418) (800x533) FundoMar_4meses(2) IMG_6954 IMG-20131118-WA0011 Junina_6meses(1)

15 set 2014

Série fotográfica retrata a beleza da infância livre

Post por Glauciana às 17:36 em Infância

As fotos da polonesa Izabela Urbaniak deixam qualquer um, sendo mãe/pai ou não de queixo caído. Mãe de dois meninos, ela retratou a melhor fase da vida, a infância, da forma mais legal que eu acredito: uma infância livre!

As fotos da série “Summertime” foram feitas durante as férias de verão desde 2012 e mostram a felicidade estampada no rosto das crianças. Eles brincam, se sujam, correm.

Izabela se inspirou na própria infância pra tirar as fotos dos filhos, pois é esse o registro que tem de infância, gravada na memória de quando visitava sua avó no interior.

Delicie-se com essa belezura!

 

UrbaniakUrbaniak2Urbaniak3Urbaniak7Urbaniak10Urbaniak12Urbaniak8Urbaniak13Urbaniak15Urbaniak16Urbaniak20Urbaniak17Urbaniak21Urbaniak22Urbaniak26Urbaniak28Urbaniak29Urbaniak30Urbaniak31

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...